Por fernanda.magalhaes

Minas Gerais - O mistério do desaparecimento da jovem de 27 anos em Bom Sucesso, no Sul de Minas, foi esclarecida nesta sexta-feira. A mulher foi assassinada pelo primo de terceiro grau. Antes do suspeito ser localizado, o ex-marido da vítima chegou a ficar preso por dois dias.

O delegado responsável pelo caso, Edgar Polo Sardinha, contou que o corpo estava em um aterro sanitário da cidade e apresentava três perfurações nas costas causadas por faca.

“Durante as investigações descobrimos que a jovem e o primo tiveram algumas conversas pelo Facebook, se encontraram no domingo e marcaram um outro encontro na segunda. No entanto, ele já havia premeditado o crime”, contou o delegado.

Ao ser intimado a comparecer na delegacia, Myague Alves Flores, de 21, negou o crime, mas, depois de algumas provas apresentadas, ele resolveu confessar. O homem disse que quando encontrou com Fabiana Maria da Silva na rua durante o fim de semana resolveu que queria matá-la  e começou a planejar o homicídio.

Na última segunda-feira, os jovens marcaram o encontro em um lugar ermo da cidade e, para que não fosse descoberto, o entregador de pães pediu que a mulher passasse em sua casa para buscá-lo com o carro.

“Os dois não tinham nenhum tipo de relacionamento. O suspeito afirmou que não teve nenhum motivo para matar a prima e que cometeu o crime apenas 'porque quis'. Ele já foi para o local do crime com a faca, corda e fitas para amarrar a vítima”, disse Sardinha.



Assim quer parou o veículo, Fabiana foi atacada por Flores. Após esfaquear a jovem, ele fugiu no carro dela, mas a gasolina acabou e o Fiat Uno foi abandonado em uma estrada rural do município. Depois de confessar o crime, o assassino confesso levou o delegado até o aterro e ainda disse em qual rio a arma utilizada no crime foi jogada.

“Ele não se arrependeu. Sabia muito bem o que estava fazendo. O suspeito, que, inclusive, era muito conhecido e querido na cidade, apresentou-se como uma pessoa psicótica”, explicou o delegado.

Flores, que já tem antecedentes criminais por envolvimento com drogas, está no presídio de Bom Sucesso. Ele será iniciado por homicídio qualificado e ocultação de cadáver e, caso seja condenado, pode pegar até 35 anos de prisão.

O ex-companheiro de Fabiana, que até então era o principal suspeito do crime, foi solto também nesta sexta-feira.

Você pode gostar