Funcionário da TAM é acusado de agredir passageiros no Galeão

Grupo entra com ação na Justiça após confusão em aeroporto

Por O Dia

Rio - Uma viagem entre Belém e o Rio terminou em confusão na madrugada do dia 5 de março. Após cerca de quatro horas de atraso, um grupo de passageiros e um funcionário da TAM se envolveram em uma briga com feridos no Aeroporto Internacional do Galeão. O caso foi parar na polícia e o grupo entrou com ações, coletiva e individuais, contra a companhia aérea.

O problema começou ainda no aeroporto de Belém. O voo JJ3421, marcado para as 17h52, saiu com cerca de quatro horas de atraso, chegando ao Galeão por volta de 1h30 da manhã. "Em Belém, funcionários se negavam a dar informações", relata a advogada Priscilla Santos, 30 anos, que estava no avião.

Passageiros acusam funcionário da TAM de agressão em confusão no Galeãoarquivo pessoal

Ao chegar no Rio, um grupo de 20 pessoas se dirigiu a uma sala da TAM para pedir vouschers de táxi. O grupo foi atendimento por dois funcionários. O primeiro, segundo Priscilla, disse que veria a possibilidade com um supervisor. Cerca de dez minutos depois, outro empregado entrou na sala "expulsando e gritando com o grupo".

Funcionário é acusado por passageira de quebrar telefone celular em confusãoarquivo pessoal

"Ele começou a empurrar as pessoas, até que empurrou um senhor de idade com uma criança de colo", diz a paraense. "Algumas pessoas ficaram machucadas depois que o funcionário jogou a mesa de atendimento em cima delas".

Priscilla afirma que também foi atingida. Segundo a advogada, ao tentar filmar a confusão, o funcionário da TAM retirou o telefone celular da sua mão e o lançou contra uma parede. O aparelho ficou destruído.

A advogada e os outros passageiros chamaram a polícia e registraram queixa na delegacia do aeroporto. "Vou entrar com processo criminal por agressão e por lesão ao patrimônio", explica a advogada.

Em nota, a TAM informou que o atraso do voo ocorreu devido às condições meteorológicas que impediam a decolagem em Belém. "A companhia não opera no Aeroporto Internacional de Belém em caso de chuva forte ou moderada". Sobre a confusão no Galeão, a empresa confirma o "desentendimento entre passageiros e um funcionário”e afirma que está tomando todas as providências necessárias "para que isso não volte a ocorrer".



Últimas de _legado_Brasil