Por karilayn.areias

Rio - A utilização do chamado volume morto do sistema Cantareira, considerado o plano B da Sabesp para fornecer água para cerca de nove milhões de habitantes da Grande São Paulo, pode garantir o abastecimento por quatro meses, informa a Folha de S.Paulo nesta terça-feira.

As obras de intalação de bombas que vão captar este volume morto começaram nos últimos dias na represa de Atibainha. A água deve estar disponível para consumo a partir de julho e deve manter, portanto, o fornecimento até novembro, evitando risco de racionamento durante as eleições. As votações de primeiro turno estão marcadas para 5 de outubro e o segundo turno, para o dia 26.

Você pode gostar