Por leonardo.rocha

Rio - Uma pesquisa divulgada nesta sexta-feira pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) aponta um crescimento de 16,36% nos ataques aos bancos em 2013, se comparado ao ano anterior. De acordo com o levantamento, foram 859 assaltos ou tentativas, além de 2.085 arrombamentos de agências, postos de atendimento ou caixas eletrônicos em todo o Brasil.

Agência bancária destruídaOsvaldo Praddo / Agência O Dia


A pesquisa foi realizada pela entidade, pela Confederação Nacional dos Vigilantes (CNTV) e Federação dos Vigilantes do Paraná, com apoio técnico do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Sócio-Econômicos (Dieese).

O levantamento se baseia em notícias veiculadas pela imprensa e informações dos sindicatos. O maior número de ataques ocorreu em São Paulo (768). Em seguida, Minas Gerais (324), Bahia (220), Paraná (210) e Rio Grande do Sul (196). Em São Paulo, foram 243 assaltos e 525 arrombamentos.

Mortes

Um outro levantamento das mesmas entidades aponta que pelo menos 65 pessoas foram assassinadas em assaltos envolvendo bancos em 2013. Homens representam 92% do total de vítimas. O número representa um aumento de 14,4% em relação a 2012, que contabilizou 57 mortes. Em 2011 foram outras 49.

O maior número de registros aconteceu em São Paulo, com 17 assassinatos. Rio de Janeiro (11), Bahia (7), Ceará (6) e Rio Grande do Sul (5) foram os Estados que aparecem em seguida, com maior número de registros. Quase metade das mortes ocorreu nos crimes conhecidos como "saidinha de banco", em que foram registradas 32 mortes.

Você pode gostar