Marcha da Família reúne cerca de 700 pessoas em SP

Quatro são presos pela PM por agredir participantes do evento

Por O Dia

São Paulo - Cerca de 700 pessoas se reuniram na Marcha da Família com Deus pela Liberdade, ontem à tarde, em São Paulo. Os manifestantes reeditaram a marcha anticomunista e de apoio ao Golpe Militar realizada há 50 anos, em 19 de março de 1964. De acordo com a polícia, quatro pessoas — três homens e uma mulher — foram presas por agredir participantes do evento.

O grupo se concentrou na Praça da República e saiu em direção à Sé, repetindo o trajeto da marcha original. Eles chegaram à praça por volta das 17h40, sem cruzar durante o trajeto com a Marcha Antifascista, convocada para criticar aqueles que defendem a volta da ditadura.

A Marcha Antifasista pediu a punição dos responsáveis por crimesDanilo Verpa / Folha Press

Para a dona de petshop Cristina Peviani, de 51 anos, uma das organizadoras do evento, a nova Marcha reuniu cerca de três mil participantes e cumpriu o objetivo de “lembrar que existe família conservadora no Brasil”.

A marcha foi realizada poucos dias antes dos 50 anos do Golpe Militar, no dia 1º de abril. Os participantes pedem intervenção militar para retirar do poder os “políticos corruptos, moralizar os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, promover valores morais e então convocar novas eleições apenas para fichas limpas”.

Últimas de _legado_Brasil