Polícia Federal põe foto de Padilha nos autos da operação Lava Jato

Ex-ministro da Saúde é citado em troca de e-mails de organização que visava R$ 250 milhões

Por O Dia

Brasília - A Polícia Federal incluiu uma foto do ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha nos autos da Operação Lava Jato — investigação sobre esquema de lavagem de dinheiro no montante de cerca de R$ 10 bilhões. De acordo com o jornal ‘O Estado de S. Paulo’, a foto ilustra trecho de relatório da PF que revela movimentos do grupo do doleiro Alberto Youssef no Ministério da Saúde.

A Polícia Federal não faz acusação a Padilha, que é pré-candidato ao governo de São Paulo pelo PT, mas, na página 134 do documento, junta a foto em que ele aparece durante a assinatura de contrato no âmbito da Parceria de Desenvolvimento Produtivo (PDP), criada pela Portaria 837/2012, para “melhoria do acesso da população a insumos estratégicos”.

Alexandre Padilha%2C pré-candidato ao governo de São Paulo pelo PT%2C é citado em operação da Polícia FederalAntonio Cruz / Agência Brasil

Em 27 páginas de relatório, são abordadas as relações de setores da Saúde com a empresa Labogen S/A Química Fina, cujo verdadeiro controlador seria Alberto Youssef, condenado no escândalo do Banestado, superesquema de remessa de US$ 30 bilhões para o exterior, nos anos 1990.

A PF sustenta que Youssef infiltrou-se na Saúde para conquistar contratos em favor da Labogen “com perspectivas de ganhos de R$ 250 milhões”. Nos negócios sob suspeita, é destacada a assinatura do termo de compromisso para desenvolvimento, produção e fornecimento ao Ministério da Saúde do medicamento citrato de sildenafila, pelo valor de R$ 150 milhões.

A Polícia Federal, pelo texto, suspeita de “possível ajuste no âmbito do Ministério da Saúde no sentido de haver uma indicação para que a Labogen acordasse a PDP em conjunto com uma das maiores indústrias farmacêuticas do Brasil”.

No dia 2 de maio de 2013, a Polícia Federal interceptou mensagem em que um integrante da organização sugere a empresários da Labogen que apaguem e-mail em que é tratado o acordo.
Ao inserir a foto de Padilha nos autos da Lava Jato, a PF faz menção ao ofício 238/2013, de 6 de setembro do ano passado, enviado pela Diretoria do Departamento do Complexo Industrial e Inovação em Saúde (Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério) para o empresário Leonardo Meirelles, diretor-presidente da Labogen.

A correspondência da Pasta da Saúde destaca que “o intuito” é avaliar a planta produtiva da Labogen “e verificar a viabilidade deste laboratório em atuar em Parcerias para o Desenvolvimento Produtivo”.

Últimas de _legado_Brasil