Por bferreira

São Paulo - Quem reclamou da questão de prova que pôs Valesca Popozuda como “grande pensadora contemporânea” precisa ver um mapa num livro didático usado por escola da rede municipal de Jundiaí, em São Paulo. Há erros grosseiros de digitação e de ortografia. O flagrante de uma mãe foi enviado à TV TEM.
No livro, destinado para crianças do segundo ano do Ensino Fundamental, está escrito ‘Minas Gertais’ (Minas Gerais), ‘Espíritu Santo’ (Espírito Santo) e Xingú, com acento no ‘u’ e o Acre, com acento no ‘A’ (‘Ácre’), e ainda falta a identificação de cinco estados do Nordeste: Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas e Sergipe, enquanto o Distrito Federal nem aparece.

Arte sobre terras indígenas veio repleta de erros de ortografiaReprodução

De acordo com Vanessa Marques, de 34 anos, foi o filho de 7 anos que mostrou os erros para a mãe na terça-feira. “Ele chegou em casa e folheamos o livro juntos. De repente, ele me disse: ‘Olha, mamãe, os nomes dos estados estão escritos de forma errada’. Ou seja, é tão grosseiro que ele percebeu assim que olhou para o mapa”, contou a auxiliar administrativa à TV TEM.

Em nota, a Secretaria Municipal de Educação de Jundiaí informou ao portal G1 que notificou imediatamente a editora responsável pela impressão dos livros didáticos. A empresa assumiu a responsabilidade para a correção dos erros ortográficos e impressão de novas páginas para substituição no livro já nos próximos dias.

Há um mês, outro deslize feio na rede pública. Uniforme escolar de Brazilândia, no Distrito Federal, trazia a palavra ‘encino’. A camisa era do Centro de Ensino Médio 01 e foi entregue a um aluno. A Secretaria de Educação do Distrito Federal informara que a peça não tinha sido produzida pelo fornecedor oficial e suspeitava que a roupa fosse falsificada, num ato de “sabotagem intelectual”.

Você pode gostar