Por thiago.antunes

Brasília - Ex-vice-presidente da Câmara, o deputado petista André Vargas, licenciado do cargo, recorreu nesta quinta-feira ao Twitter para se defender. Ele afirmou no microblog que não cometeu nenhuma ilegalidade com o doleiro Alberto Youssef, um dos presos da Operação Lava-Jato, da PF.

“Estou certo de que não cometi ato ilícito e vou provar isso de cabeça erguida. Não traí a confiança que sempre mereci do povo do Paraná. A imprensa está devassando minha vida, e vendo que não tenho nada a esconder. Meu patrimônio condiz com o salário de deputado”, publicou Vargas.

Vargas admitiu ter usado um avião fretado por Youssef e foi flagrado trocando mensagens com o doleiro sobre um projeto no Ministério da Saúde. Ele enfrenta processo de cassação no Conselho de Ética, por quebra de decoro.

Doleiro preso%2C Youssef pode fazer companhia a Beira-Mar Divulgação

A Polícia Federal pediu nesta quinta-feira a transferência dos presos da Operação Lava-Jato para presídios estaduais e federais no Paraná. Além de Youssef, foi preso também o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto da Costa. A solicitação ainda precisa ser analisada pela Justiça.

Conforme a polícia, o pedido foi para que Youssef e outros dois doleiros fiquem na Penitenciária Federal de Catanduvas. Já os demais presos na operação, deflagrada em março, devem ir para penitenciárias do sistema estadual do Paraná.

Você pode gostar