Por thiago.antunes

Três Passos (Rio Grande do Sul) - A delegada Caroline Virginia Bamberg, de Três Passos (RS), informou nesta terça-feira que as investigações confirmaram que o médico Leandro Boldrini não estava presente quando seu filho Bernardo Uglione Boldrini, de 11 anos, foi assassinado no dia 4 de abril.

Mas a policial disse estar convencida de que ele participou do crime. “Eu tenho convicção que de alguma forma ele teve participação, mas a forma não vou falar porque estou investigando”.

Além de Boldrini, estão presos, por suspeita de matar Bernardo, a madrasta do garoto, Graciele Ugulin, e a assistente social Edelvânia Wirganovicz, que, em depoimento, confessou ter participado do assassinato. O menino foi morto com uma injeção letal e teve o corpo enterrado na localidade de Frederico Westphalen.

Você pode gostar