Por fernanda.magalhaes

Rio Grande do Sul - A Polícia Federal cumpri nesta sexta-feira cinco mandados de prisão em Faxinalzinho, no norte do Rio Grande do Sul. Todos são indígenas suspeitos de envolvimento no conflito que resultou na morte de dois agricultores, em 28 de abril.

Segundo a Superintendência Regional da PF do Rio Grande do Sul, o mandado é temporário, e eles devem permanecer presos por 30 dias. Nesse período, a polícia segue com investigação que corre em sigilo. Os dois agricultores foram mortos a tiros e pauladas em meio à disputa por terras reivindicadas como territórios tradicionais indígenas.

Nesta quinta-feira, a Comissão de Agricultura da Câmara convocou os ministros da Justiça, José Eduardo Cardozo, e da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, para darem explicações sobre o conflito entre produtores rurais e índios. Para os deputados Luis Carlos Heinze (PP-RS) e Giovanni Queiroz (PDT-PA), autores do requerimento, houve omissão do governo na região.

Na semana passada, Cardozo negou omissão no caso e ponderou que a pasta tem agido de forma a tentar conciliar o conflito. Assessores do Ministério da Justiça e representantes do governo do Rio Grande do Sul reuniram-se ontem em Porto Alegre para tentarem encontrar soluções para o caso.

Você pode gostar