Por tamara.coimbra

Brasília - O presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), disse nesta terça-feira que deverá anunciar até a próxima terça os nomes dos parlamentares que vão compor a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Petrobras, e estima que a comissão deverá ser instalada no dia seguinte, quarta-feira.

De acordo com Calheiros, ele está seguindo o mesmo procedimento adotado na CPI dos Bingos, em 2006, que determinou o prazo de oito sessões da Câmara para a instalação do colegiado. A decisão foi tomada devido ao fato de o PT não ter indicado os nomes para compor a comissão. O mesmo expediente foi usado por parte da oposição na CPI instalada no Senado. Questionado por parlamentares da oposição, ele disse que os líderes têm até a meia-noite desta quarta-feira para indicar os membros para a comissão.

“A decisão judicial da CPI dos Bingos [de 2006] estabeleceu esse rito que estamos cumprindo. Terça-feira, se os partidos não indicarem, vamos indicar os nomes”, disse Calheiros, que também pediu aos líderes da Câmara e do Senado que indiquem os nomes para a CPMI que vai investigar denúncias de irregularidade nos metrôs de São Paulo e do Distrito Federal. De acordo com o presidente do Senado, o prazo de oito sessões começa a contar a partir de hoje.

A sessão desta terça-feria do Congresso Nacional seria destinada à apreciação de 14 vetos presidenciais a projetos de lei. Mas a sessão foi encerrada por falta de quorum.

O principal deles foi o veto ao Projeto de Lei Complementar (PLC) 416/2008, que fixava os critérios para a criação, fusão e o desmembramento de municípios. Em seu veto, a presidenta Dilma Rousseff argumentou que a medida permitiria a “expansão expressiva” do número de municípios no país, com aumento de despesas de manutenção de sua estrutura administrativa e representativa.

Calheiros convocou para esta quarta uma reunião de líderes para tentar fechar um acordo e apreciar os vetos em outra sessão na próxima terça-feira.

Você pode gostar