Por tamara.coimbra

Bahia — Pelo menos quatro capitais brasileiras enfrentam paralisações de motoristas e cobradores na manhã desta quarta-feira. A situação é mais grave em Salvador e em São Luís, onde desde ontem já não havia nenhum ônibus municipal circulando nas cidades. Nesta quarta, Rio de Janeiro e Florianópolis também tiveram paralisações.

Em São Luís, patrões e empregados não entraram em acordo e toda a frota de coletivos da capital maranhense ficou fora de circulação pelo segundo dia seguido. Os motoristas reivindicam aumento de 16% nos salários, R$ 500 de vale alimentação, inclusão de dependente no plano de saúde e contratação de plano odontológio. Segundo o sindicato que representa os trabalhadores, a greve é por tempo indeterminado.

Passageiros formam enorme fila para pegar ônibus no Rio%3B paralisação teve pouca adesãoOsvaldo Praddo / Agência O Dia

Na Bahia, alguns ônibus deixaram as garagens escoltados pela polícia, mas a maior parte dos coletivos está fora de operação, assim como ocorreu na segunda-feira à tarde e durante esta terça-feira.

A paralisação dos rodoviários que não acolheram a proposta aceita pelo sindicato mudou a rotina da cidade. Escolas, faculdades, algumas lojas com portas fechadas e até postos de saúde tiveram um dia atípico ontem, segunda jornada de manifestação. Salas de aulas vazias, estabelecimentos com contingente reduzido, e até ausência de filas em postos de saúde, bancos e outros estabelecimentos diminuíram na cidade, devido à ausência de ônibus na cidade.

No Rio de Janeiro, a paralisação de 24h que teve início à 0h desta quarta-feira, está tendo pouca adesão da categoria. De acordo com o Rio Ônibus (sindicato das empresas), 90% da frota está circulando e não há nenhum registro de violência. A representação patronal já havia ameaçado descontar o dia não trabalhado dos grevistas e a demissão por justa causa.

Em Florianópolis, parte da frota está parada após decisão de greve adotada em assembleia realizada nesta terça-feira. Segundo a prefeitura, a secretaria de mobilidade urbana de Florianópolis acionou um esquema com vans escolares e de turismo para suprir a ausência dos ônibus. A ação visa a amenizar os transtornos à população. Para isso, haverá cerca de 200 vans e micro-ônibus do serviço de turismo e escolar, todas com saída do centro em direção aos bairros.

Você pode gostar