Por causa de chuvas, prefeitura decreta estado de calamidade pública em Natal

Cidade recebe seu segundo jogo da Copa do Mundo nesta segunda-feira, entre os Estados Unidos e Gana

Por O Dia

Rio Grande do Norte - A Prefeitura de Natal decretou nesta segunda-feira estado de calamidade pública por 180 dias por causa dos estragos causados em vários bairros pelas chuvas do fim de semana. O documento foi publicado na edição desta segunda do Diário Oficial do estado, e assinado pelo prefeito de Natal, Carlos Eduardo (PDT).

A cidade recebe seu segundo jogo da Copa do Mundo nesta segunda-feira, entre os Estados Unidos e Gana. A partida, marcada para as 19h na Arena das Dunas, está confirmada, apesar da decisão.

Deslizamento de terra atingiu quatro carros e uma motocicletaReprodução

O decreto publicado no Diário Oficial informa que no fim de semana choveu 333 mm em Natal, onde ocorreu erosões em diversas ruas. O documento autoriza a mobilização de todos os órgãos municipais para atuarem sob a coordenação da Secretaria Municipal de Segurança Pública e Defesa Social (Semdes), convocação de voluntários para reforçar nos reparos e realização de campanhas para arrecadação de recursos para a comunidade.

Natal vem sendo atingida por fortes chuvas desde sexta-feira, quando jogaram na Arena das Dunas a seleção do México e de Camarões. Houve deslizamentos de terra na Via Costeira, uma das principais da orla da cidade, onde está a maioria dos hotéis de luxo. Há pessoas desabrigadas, porém a prefeitura e a Defesa Civil ainda não sabem informar ao certo quantas pessoas foram atingidas pelo desastre.

Para esta segunda-feira, a previsão do Instituto Nacional de Meteorologia é de tempo nublado com chuva esparsa durante o dia e à noite. No sábado, as chuvas ficaram mais fortes e foram registrados novos estragos. A situação mais grave é no bairro Mãe Luiza, na Zona Leste, onde uma rua desapareceu em consequência de um deslizamento, ameaçando as casas no entorno.

Já no domingo, engenheiros da Universidade Federal do Rio Grande do Norte fizeram vistoria no local e constataram que há risco de a terra deslizar de novo, principalmente se voltar a chover forte. Por causa disso, a prefeitura está monitorando a área permanentemente para avaliar se será preciso retirar os moradores.

Últimas de _legado_Brasil