Delegado diz que black blocs e líderes do MPL são suspeitos de depredação

Suspeitos serão convocados nesta segunda-feira para prestarem depoimentos

Por O Dia

São Paulo - A Polícia Civil de São Paulo disse, nesta segunda-feira, ter identificado dois black blocs e 22 líderes do Movimento Passe Livre (MPL) como suspeitos de vandalismo em duas manifestações que ocorreram neste mês em São Paulo. Além disso, a polícia relatou que os investigados podem ser presos temporariamente pelo crime de "constituição de milícia privada".

Black blocs invadem e quebram loja de carros de luxo em São PauloReuters

O delegado-geral Luiz Maurício Souza Blazeck informou que os suspeitos serão convocados na tarde desta segunda para depor. Ainda segundo o delegado, um black block foi identificado e é investigado por depredar o Metrô Carrão, na Zona Leste, em 12 de junho, durante o ato "Não vai ter Copa". E outro e mais 22 líderes do MPL foram identificados e são investigados de participarem da depredação de uma concessionária de carros de luxo na última quinta-feira, no ato que celebrava um ano de redução da tarifa da capital paulista.

Os suspeitos poderão ser responsabilizados pelo crime de "dano ao patrimônio" e "constituição de milícia privada". Em que podem pegar de 4 a 8 anos de prisão sem direito a fiança na primeira acusação, e de 1 a 3 anos, mas com direito à fiança para responder em liberdade, na segunda acusação.

Últimas de _legado_Brasil