Por julia.sorella

São Paulo - Apesar do registro de queda de crimes contra a vida, a cidade de São Paulo teve aumento de 41,87% nos casos de roubo no mês passado em comparação ao mesmo período de 2013. O crime se diferencia do furto por inserir o uso de violência para se adquirir algo de outrém. Os dados foram divulgados pela Coordenadoria de Análise e Planejamento da Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP), nesta quarta-feira.

No total, foram 14.716 casos de roubo em 2013 contra 10.373 no ano passado. Ainda foram registrados 4.159 roubos de veículos ante 4.012 do ano anterior, crescimento de 3,66%.

O Governo, no entanto, comemora as quedas de latrocínio - roubo seguido de morte - e homicídio. No primeiro, houve queda de 14,3%, o que na prática significa apenas dois casos a menos (12) em relação a maio do ano passado (14) - menor número desde o mesmo período de 2010, quando foram registrados 9 latrocínios.

Já os homicídios tiveram queda de 22,2% - 84 casos em maio deste ano contra 108 em relação ao mesmo período do ano passado, ou seja, 9,87 mortes para cada 100 mil habitantes. Assim, São Paulo voltou a alcançar a proporção considerada aceitável pela Organização Mundial da Saúde (OMS), de 10 assassinados para cada 100 mil habitantes.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, é a menor taxa para o mês de maio desde 2001 - empate com o mesmo período de 2011. A redução acumulada desde o início do ano é de 7,9%, um total de 467 casos de janeiro a maio de 2014. Em 2013, foram 507.

Também foi divulgado o balanço dos furtos, quando não há uso de violência: foram registrados 17.806 casos, 224 a menos do que no ano passado - 1,2% de redução.

Você pode gostar