Por tamara.coimbra

São Paulo - O corpo de um homem, que aparenta ter 65 anos, foi velado duas vezes por engano na última semana, no interior de São Paulo. No primeiro caso, foi velado até a Polícia Civil descobrir que o suposto morto estava vivo. No segundo, foi velado sem a família perceber o engano cometido. Em ambos os fatos, o corpo foi devolvido ao Instituto Médico legal de São José do Rio Preto (SP), onde, até o momento, aguarda o reconhecimento.

O caos começou no último dia 20, quando um senhor foi vítima de atropelamento no interior paulista. Na ocasião, o corpo foi reconhecido por familiares de um homem, 65 anos, que passava vários dias fora de casa por causa do alcoolismo. O cadáver chegou a ser velado na madrugada da última terça-feira, em Icém (SP), quando um conhecido da família teria desfeito o engano. A Polícia Civil foi acionada e encontrou o suposto morto com vida. Sendo assim, o corpo retornou ao IML de Rio Preto, onde aguardou um novo reconhecimento.

Já nesta semana, uma família de Bebedouro, interior paulista, reconheceu o corpo sendo de um idoso que sumiu em abril. Após ser velado por horas nesta sexta-feira, familiares perceberam que não se tratava da mesma pessoa. Confirmando o fato com comparação de digitais.

A polícia suspeita que o cadáver — aparentemente de 65 anos, 1,65 de altura, pele branca, magro, calvo e com uma cicatriz perto da sobrancelha — se trate de um morador de rua, pois não portava nenhum documento. O IML informou que vai apurar os procedimentos usados para a liberação do corpo.

Você pode gostar