Por leonardo.rocha

Brasília - A greve dos rodoviários do Distrito Federal iniciada nesta sexta-feira dificultou o transporte dos torcedores ao Estádio Nacional Mané Garrincha, onde Argentina e Bélgica se enfrentarão neste sábado, às 13h, pelas quartas de finalda Copa do Mundo.

Os trabalhadores explicaram que a paralisação foi declarada por descumprimento do acordo de aumento salarial por parte das empresas. Segundo líderes do movimento, havia sido estipulado um reajuste de 20% no mês passado, o que não foi cumprido nos pagamentos de junho.

O presidente do sindicato dos rodoviários, Jorge Patrocínio, garantiu que os trabalhadores cumprirão a lei que regula os serviços públicos e obriga que pelo menos 30% dos ônibus permaneçam em atividade durante a greve. No entanto, cerca de três horas antes do início da paralisação já eram poucos os ônibus que circulavam pela capital.

O governo afirmou que o serviço foi reforçado, mas na rodoviária era possível observar imensas filas de pessoas à espera de transporte na manhã deste sábado. De acordo com a Secretaria de Transporte do Distrito Federal, foi iniciado um "plano de emergência" a fim de garantir o transporte dos torcedores rumo ao estádio.

Para todos os jogos da Copa do Mundo em Brasília foi disponibilizado um serviço de ônibus gratuitos para levar os torcedores ao estádio. Milhares de torcedores argentinos chegaram à cidade nos últimos dias. A maioria viajou por terra e acampou nos parques de um centro de convenções próximo à Granja do Torto, nos arredores da cidade.

Você pode gostar