Por felipe.martins

Rio - Foi enterrado ontem, em São Paulo, o ex-deputado Plínio de Arruda Sampaio. Ele morreu anteontem, aos 83 anos, por uma broncopneumonia que provocou a falência de múltiplos órgãos e sistemas.

Candidato derrotado à Presidência da República pelo Psol nas eleições de 2010, Plínio foi um dos fundadores do PT e responsável pela elaboração do programa de reforma agrária da campanha presidencial de Luiz Inácio Lula da Silva, em 2002.

Ex-deputado morreu%2C aos 83 anos%2C por uma broncopneumoniaFábio Vieira / Agência O Dia

Lula não compareceu ao velório nem ao enterro, mas enviou enviou uma mensagem à família. No texto, o ex-presidente afirma que recebeu com tristeza a morte. “Plínio dedicou toda sua vida à luta pela igualdade, enfrentando a ditadura na fundação do PT e no apoio sempre presente aos movimentos sociais.” Plínio deixou o PT em 2005 desiludido com o escândalo do mensalão.

Amigo de Plínio desde o exílio no Chile durante a ditadura militar, o ex-governador José Serra (PSDB) disse que o ex-deputado era um político “bastante coerente com o que pensava e pregava, o que não é comum na política brasileira”. Opinião semelhante à da deputada Luiza Erundina (PSB-SP) para quem Plínio era um político “coerente” e “fiel” aos seus princípios. Já o senador Eduardo Suplicy (PT-SP) observou que Sampaio deixa como legado uma vida pública de “correção” e “transparência”.

Você pode gostar