Conselho investiga omissão de socorro

Vigia agonizou na entrada de hospital particular e não foi atendido

Por O Dia

São Paulo - O Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) decidiu apurar se houve omissão de socorro na morte do vigia Nelson França, de 48 anos. Ele foi levado ao Hospital Santo Expedito, em Itaquera, em São Paulo, na noite do dia 16 de julho, pelo motorista de um ônibus, após passar mal dentro do veículo.

Relatos de testemunhas e um vídeo gravado no local indicam que o vigilante agonizou por cerca de uma hora na entrada do estacionamento do hospital particular sem receber atendimento. O vice-presidente do Cremesp, Mauro Aranha de Lima, viu o vídeo que mostra a vítima agonizando e pedindo socorro em frente ao hospital. Segundo ele, em situações de urgência o atendimento deve ser imediato, mesmo que o hospital seja particular e o paciente não tenha convênio médico.

A polícia instaurou inquérito para investigar a morte de Nelson França por suposta omissão de socorro. O delegado José Francisco Rodrigues Filho aguarda o laudo do Instituto Médico Legal (IML), considerado por ele fundamental para a apuração do caso.

Últimas de _legado_Brasil