Morre bebê resgatado de prédio que desabou em Aracaju

Bombeiros retiraram dos escombros um funcionário da obra, sua mulher e os dois filhos, mas o caçula não resistiu

Por O Dia

Aracaju - Morreu na tarde de ontem o bebê de 11 meses resgatado junto com família após o desabamento de um prédio, em Aracaju (SE). Segundo o Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), a causa da morte foi insuficiência respiratória.

Ítalo Miguel ficou soterrado por mais 34 horas junto ao seu pai, Josevaldo da Silva, 24 anos, sua mãe, Vanice de Jesus, de 31 anos, e sua irmã, Ane Gabrieli, de 8 anos. Ontem, ao meio-dia, a família foi resgatada pelos bombeiros. Logo depois de sair dos escombros, o bebê teve uma parada cardíaca e recebeu atendimento imediato dos bombeiros no local do desabamento.

Bombeiros trabalharam para encontrar as vítimas soterradas FolhaPress

Levado para o Huse, Ítalo não resistiu e morreu a caminho do hospital. O pai, a mãe e a irmã de Ítalo permaneciam internados no hospital até o início da noite de ontem. Os quatro membros da família dormiam no prédio, que estava em construção, localizada no bairro Coroa do Meio, em Aracaju. Josevaldo trabalhava na obra do imóvel residencial de quatro andares, localizado na Zona Sul da capital sergipana.

Homens do Corpo de Bombeiros, com auxílio de cães farejadores, da Defesa Civil e do Samu trabalharam no local. A tentativa de resgate da família começou ainda na madrugada de sábado. As equipes receberam ajuda também da Força Nacional.

Ao todo, cerca de cem homens trabalharam no resgate.Quando os quatro foram resgatados, centenas de pessoas que acompanhavam os trabalhos das equipes aplaudiram e, depois, cantaram o Hino Nacional.

Josevaldo era ajudante de pedreiro na construção do prédio residencial de quatro andares que veio abaixo por volta das 2h30m de sábado. O prédio seria entregue aos proprietários dentro de dois meses e as causas do desabamento ainda não foram divulgadas. A família passava o fim de semana com ele.

Segundo os bombeiros, após o colapso, os quatro ficaram abrigados em um espaço de 20 metros quadrados onde caixas de cerâmicas podem ter segurado a laje, preservando suas vidas. Apesar de estarem no mesmo cômodo, os familiares estavam distantes alguns metros uns dos outros. O ambiente era inóspito, escuro e muito frio.

Últimas de _legado_Brasil