'Não é culpa dele', diz menino sobre tigre ao falar de ataque pela primeira vez

Vrajamany contou que brincar com animais é algo que está habituado a fazer em sua casa e falou sobre acidente

Por clarissa.sardenberg

Rio - O menino de 11 anos que teve o braço direito amputado após ser atacado por um tigre do zoológico de Cascavel, no Paraná, contou em entrevista exibida neste domingo ao programa Fantástico da TV Globo detalhes sobre o acidente. Vrajamany Fernandes Rocha teve alta na última quartafeira. Ele vive com a mãe e o padrasto em São Paulo e conta que brincar com animais é algo muito natural. O menino possui dois cachorros de estimação. O acidente ocorreu quando o Vrajamany viajou com o pai, que também mora em SP, e resolveu "brincar" com o tigre. O menino pediu para que o animal não fosse sacrificado. “Não é culpa dele. Eu que coloquei a mão lá”, disse.

Vrajamany disse que na ambulância já estava triste pois sabia que seu braço seria amputado Reprodução TV Globo

O menino disse que não havia ninguém no zoológico qundo chegou ao local, nem visitantes, nem vigias e por isso teria se aproveitado para pular a cerca e ver os nimais de perto. Nessa hora, o pai dele estaria mais distante.

Ele contou que não ficou com medo do leão pois o animal não poderia mordê-lo, já que "não passa pela grade". Assim, levou ossos de frango que reestaram do almoço no bolso para dar de comer ao animal.

"Meu pai não teve culpa. Ele não sabia o que ia acontecer. Nem eu sabia", comentou. 

Em seguida, o menino se deslocou para a jaula do tigre.

"Meu pai chegou, ficou no tronco e eu fiquei brincando com o tigre e aconteceu o acidente", disse o menino. "Teve gente que disse que o tigre fez xixi ali querendo marcar território, você percebeu?", perguntou a repórter. "É, eu esqueci que ele marca território", respondeu Vrajamany. 

Vrajamany brinca com cão de estimação ao voltar para casa em São PauloReprodução TV Globo

Muita gente se pergunta o motivo de Vrajamany ter escalado a grade de proteção. Ele revelou que queria chamr a atenção do animal, para que ele chegasse mais perto. Não pensou que o tigre pudesse atacar, só que o animal reagiu. 

Segundo o menino, o tigre só soltou seu braço após o pai "bater na cara dele". "Fiquei deitado na grama até chegar o bombeiro". Vrajamany levou uma mordida na mão direita e outra na altura da axila. Segundo os bombeiros, faltaram apenas dois centímetros para os dentes do tigre rasgarem importantes artérias importantes que passam perto do ombro, o que ocasionaria na morte do menino. 

Ele contou que esteve consciente em todo o tempo e disse que na ambulância já estava triste pois sabia que seu braço seria amputado. Agora afirma que “já passou, não vou ficar olhando para trás, não”. A mãe do garoto, a funcionária pública Mônica Fernandes Santos, disse que o filho ainda fará exames para saber se pode usar prótese, mas ele já declarou qual quer: " Ah, quero uma prótese humanoide, né? É igual a um braço, tem os mesmos movimentos que um braço".

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia