Preso diz que recebeu dinheiro para incriminar adversário de Sarney

Detento disse que gravou o depoimento acusatório este mês a mando de servidores do Complexo de Pedrinhas

Por O Dia

Maranhão - Polícia Federal (PF) iniciou investigação para apurar em quais circunstâncias um preso do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, no Maranhão, recebeu proposta de vantagem financeira e de regalias na prisão de agentes da própria prisão para fazer falsas acusações contra o candidato ao governo do Estado, Flávio Dino (PCdoB). Dino é adversário de Lobão Filho (PMDB) na disputa pelo Governo do Estado. Lobão é apoiado pela governadora Roseana Sarney (PMDB).

Durante essa semana, blogs aliados à família Sarney divulgaram um vídeo em que o presidiário André Escócio de Caldas, tido como responsável por um assalto à Universidade Estadual do Maranhão (Uema), em fevereiro deste ano, acusa Dino de ser líder de uma quadrilha no Estado. Nesse vídeo, Caldas diz em um suposto depoimento à Polícia que o ex-presidente da Empresa Brasileira de Turismo (Embratur) é líder de uma quadrilha especializada em assaltos e roubos em todo o Estado.

No entanto, em depoimento prestado à Polícia Civil do Maranhão na última quarta-feira, Caldas disse que gravou o depoimento acusatório este mês a mando de servidores do Complexo de Pedrinhas. No depoimento, Caldas também disse que receberia um alvará de soltura e que ele seria protegido dos demais presos. A investigação, na Polícia Estadual, está sendo comandada pelo delegado, Tiago Mattos Bardal, da Superintendência de Investigações Criminais (Seic).

Trechos do depoimento do detento com as acusações contra Dino foram utilizados pela propaganda de Lobão Filho no seu programa de televisão no rádio. O vídeo também foi explorado pelo portal de notícias local de responsabilidade da TV Difusora, de propriedade de Lobão Filho.

Na tarde desta quinta-feira, a Secretaria de Estado de Justiça e Administração Penitenciária do Maranhão (Sejap) decidiu afastar, por tempo indeterminado, o diretor da Central de Custódia de Presos de Justiça (CCPJ) de Pedrinhas, Carlos Eduardo Sousa Aguiar e o diretor administrativo da CCPJ, Elenilson Araújo, apontados por Caldas como pessoas que ofereceram as vantagens financeiras e o alvará de soltura para que ele incriminasse Dino.

Segundo pesquisa Ibope, Dino é líder das pesquisas no Maranhão e tem chances de vencer em primeiro turno com 48% das intenções de voto, contra 27% de Lobão Filho. Os demais adversários somados não chegam a 5% dos votos no Estado.

Últimas de _legado_Brasil