Por bferreira

Santa Catarina - O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, anunciou na noite de ontem o envio a Santa Catarina de tropas da Força Nacional de Segurança para tentar conter a onda de atentados registrada no estado desde o dia 26 de setembro. O anúncio foi feito durante reunião do ministro com o governador em exercício, Nelson Schaefer Martins, e a cúpula da segurança pública catarinense.

O ministro não informou quantos homens serão enviados ao estado, mas anunciou que a Força Nacional atuará em conjunto com as polícias Federal e Rodoviária Federal. Ele alegou que, para evitar reação dos integrantes da facção Primeiro Grupo Catarinense (PGC), apontada como responsáveis pelos atentados, não informaria quando as tropas chegarão ao estado.

Cardozo decidiu ir a Santa Catarina na tarde de ontem diante do agravamento da situação no estado, onde foram registrados 64 atentado em oito dias. Na madrugada de ontem, houve mais oito e subiu para 26 o número de cidades atingidas.

CRECHE ATACADA

Pela primeira vez um dos alvos dos bandidos foi uma creche. Segundo a polícia, durante a madrugada, um coquetel Molotov foi jogado por uma janela da unidade na cidade de Aranguá, no sul do estado, mas o fogo não se propagou.

Houve ataques também durante o dia. Por volta das 11h50, um ônibus foi incendiado no ponto final na Vila Aparecida. O fogo foi apagado por policiais militares que faziam ronda no bairro.

À tarde, três homens encapuzados atearam fogo a um ônibus em Joinville. O ataque aconteceu por volta das 15h, quando o governador Nelson Schaefer Martins dava entrevista para apresentar um balanço dos ataques.

Detidos 44 suspeitos

O governador em exercício de Santa Catarina, Nelson Schaefer Martins, informou que foram detidos 44 suspeitos de envolvimento com os atentados no estado, incluindo 10 adolescentes. Ele disse que, com as prisões, foram evitados pelo menos ataques.

A circulação de ônibus na Grande Florianópolis continua restrita ao período das 6h às 19h. Ontem, a Prefeitura de Florianópolis divulgou nota informando que também amanhã, dia da eleição, o horário será mantido.

O Tribunal Regional Eleitoral informou que não há plano para transporte de mesários, presidentes de mesa e demais profissionais envolvidos com a votação. Segundo o TRE, todos serão liberados até as 18h para pegarem os ônibus para casa e não haverá mais atividades nas zonas eleitorais após esse horário.

Você pode gostar