Polícia Militar registra 80 ataques em 7 dias em Santa Catarina

Força Nacional enviou 33 agentes para reforçar a segurança, e 20 detentos foram transferidos para prisão federal

Por O Dia

Santa Catarina - O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, anunciou na manhã de sábado que será feita uma fiscalização rigorosa em todas as entradas de Santa Catarina. O objetivo é combater a onda de ataques que assola o estado há uma semana. De acordo com a Polícia Militar, já foram registradas 80 ocorrências em 28 cidades. A Força Nacional enviou 33 soldados para reforçar a segurança na região.

Informações preliminares dão conta de que a ordem para os ataques teria partido de dentro de penitenciárias, o que resultou na transferência de 20 detentos para o presídio federal de Porto Velho (RO). Até agora foram detidas 55 pessoas, sendo 10 adolescentes. Dois suspeitos e um agente da segurança pública foram mortos.

Em relação à fiscalização mais rigorosa nas entradas do estado, o ministro afirmou que a ideia é fazer um cinturão em torno de Santa Catarina, com ações terrestres, aéreas e marítimas. José Eduardo Cardoso não confirmou se haverá mais transferências, mas disse que elas poderão ocorrer caso julgadas necessárias pelos órgãos de inteligência. Ele disse ainda que o estado poderá receber mais agentes da Força Nacional.

Na última quinta-feira, o delegado responsável pela divisão de repressão ao crime organizado da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic), Procópio Silveira Neto, disse que as ordens dos ataques partiram de presos transferidos de Santa Catarina para a Penitenciária Federal de Mossoró (RN).
Porém, na coletiva de ontem o delegado geral da Polícia Civil, Aldo Pinheiro D’Ávila, não confirmou esta informação. Segundo ele, a afirmação foi baseada em gravações cujas origens ainda estão sendo investigadas. “Qualquer informação ainda é precipitada”, completou.

Últimas de _legado_Brasil