Amapá registra mais de 600 casos de febre Chikungunya

Sintomas da doença também são semelhantes aos da dengue e começam a aparecer de quatro a oito dias depois da picada do mosquito infectado

Por O Dia

Amapá - O número de casos de febre Chikungunya notificados em todo o estado do Amapá já chega a 629. A cidade de Oiapoque, que fica a 590 quilômetros da capital Macapá, já tem 366 pessoas com a doença confirmada.

“Nós estamos fazendo bloqueios sanitários na saída de Oiapoque para tentar conter o avanço da doença pelo estado”, diz a diretora da Divisão Estadual de Vigilância Epidemiológica, Iracilda Pinto.

No município continuam sendo realizadas ações conjuntas entre os agentes de endemias, Exército e Corpo de Bombeiros para combater o mosquito Aedes aegypti, agente transmissor da doença.

Entre as medidas preventivas estão visitas às casas, aplicação de inseticida e a limpeza da cidade.

Iracilda acrescenta que a ajuda da população é fundamental para erradicar a doença. “Assim como no caso da dengue, as pessoas precisam limpar os quintais e não deixar acumular água pela casa, que é onde o mosquito se reproduz”, diz.

Os sintomas da doença também são semelhantes aos da dengue e começam a aparecer de quatro a oito dias depois da picada do mosquito infectado. O paciente apresenta febre alta e dores nas articulações. Outros sintomas comuns são dor de cabeça, dor muscular, manchas avermelhadas na pele e conjuntivite.

Ainda não há vacinas para prevenir a doença. Assim como na dengue, o tratamento é feito com uso de analgésicos para aliviar os sintomas que podem demorar de dois a seis meses para desaparecer.

O vírus Chikungunya foi identificado pela primeira vez entre 1952 e 1953, durante uma epidemia na Tanzânia.

Últimas de _legado_Brasil