Por victor.duarte

São Paulo - Cerca de 30 cães que sofriam maus-tratos em uma casa de Praia Grande, litoral de São Paulo, foram apreendidos pela Polícia Civil, em parceria com a Organização Fiscalizadora de Animais (OFA) de Praia Grande e a Coordenadoria de Proteção à Vida Animal (Codevida).

Os animais, incluindo filhotes, eram mantidos dentro de gaiolas, em um quarto escuro e sem ventilação, por uma idosa de 80 anos. A mulher não alimentava os cães e forçava a procriação para que pudesse vender ilegalmente os filhotes através de um site na internet.

A apreensão foi realizada após denúncias anônimas que relatavam agressões contra os animais. Moradores da rua Gilberto Amado, no bairro Ocian, já reclamavam do mau cheiro e dos latidos durante a madrugada.

Segundo moradores, a mulher está no bairro há oito anos e todo mundo tentava denunciar, mas ninguém conseguia. Ela tinha cães das raças Pinscher, Poodle, Yorkshire e Spitz Alemão. Um Pinscher era vendido por cerca de R$ 700.

Todos os cães foram resgatados e levados à Delegacia Sede do município. O delegado Bruno Lázaro não informou o destino dos animais, mas garantiu que eles serão cuidados e devem ser encaminhados e preparados para a adoção. A mulher foi presa em flagrante e levada até a delegacia, onde prestou esclarecimentos. Em seguida, foi liberada. Ela responderá em liberdade por crime de crueldade ao animais.

Você pode gostar