Por tamara.coimbra

Rio - "Nós temos que nos lembrar que disputamos, como nunca, uma eleição desigual com o outro lado usando a máquina pública, a infâmia, a mentira contra nós". A frase, em tom de desabafo, é do senador mineiro e candidato derrotado na eleição presidencial Aécio Neves (PSDB), que engrossou o coro tucano sobre a reeleição de Dilma Rousseff (PT).

A tese já havia sido difundida pelo vice de Aécio, o também senador tucano Aloysio Nunes Ferreira (SP), que também em vídeo declarou que a oposição do PSDB ao governo petista deve ser “firme, consciente. Trazer para o Senado, para a Câmara, a indignação das ruas. Vamos continuar em contato porque a Dilma ganhou a eleição mentindo”.


Mais tarde, completou que o processo eleitoral também trouxe bons frutos e que estará vigilante no Senado acompanhando e cobrando do governo as promessas levantadas durante a campanha eleitoral.

"Aconteceu, e isso a gente não pode esquecer, uma outra coisa extraordinária: O Brasil acordando, as pessoas indo para as ruas querendo ser protagonistas do seu próprio destino. Essa é a maior força que nós temos hoje. A nossa união. Fiscalizarmos as ações a cada dia desse governo e cobrarmos resultados. Fiquem tranquilos que eu estarei atento e vigilante para que cada compromisso da campanha seja agora cumprido".

No vídeo, Aécio agradeceu ainda às manifestações de tristeza de seus eleitores pela derrota no processo eleitoral e, parafraseando o avô Tancredo Neves, pediu: "Não vamos nos dispersar".

Você pode gostar