Por tamara.coimbra

Brasília - De volta de alguns dias de descanso na Bahia, a presidenta Dilma Rousseff abriu as conversas para a composição do novo governo. Embora líderes partidários e auxiliares da presidenta evitem falar abertamente sobre o assunto, o governo já definiu como meta casar a troca na Esplanada à recomposição da base aliada no Congresso.

Somente nesta semana, Dilma acertou pelo menos duas conversas com cotados para o primeiro escalão do governo. Nesta manhã, ela recebeu o governador do Ceará, Cid Gomes (PROS). Quinta-feira, ele deve se reunir com o ex-prefeito de São Paulo Gilberto Kassab (PSD). Dilma pretende abrir espaço no ministério tanto para o PROS, como para o PSD. As duas legendas engordaram a coligação da presidente na eleição deste ano e agora esperam uma participação na Esplanada.

Dilma acertou pelo menos duas conversas com cotados para o primeiro escalão do governoReuters

Após a audiência com Dilma, Cid desconversou sobre a possibilidade de ele próprio ser indicado para compor o primeiro time da presidenta. Ele é tido como uma opção para a pasta da Educação e costuma investir no discurso de que gostaria de integrar o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

“Eu cometeria a indelicadeza se dissesse isso (que pode ir para o ministério). A presidenta sabe que o meu projeto é de ir para o BID, passar uma temporada os Estados Unidos como consultor do banco interamericano”, disse Cid, que desconversou se aceitaria o convite. “Eu não vou comentar especulações”, esquivou-se.

Cid, no entanto, disse que Dilma reconhece os avanços que conseguiu no Ceará na área da Educação. “A presidente reconhece os indicadores, os avanços na Educação no Ceará e reconhece isso publicamente. O Pnaic, o Programa Nacional de Alfabetização na Idade Certa foi inspirado, e ela diz isso, em um programa que nasceu lá no Ceará . Eu não vou, não devo, falar sobre essa coisa isso. É um assunto que só diz respeito a presidente”, disse Cid.

Kassab também é visto como provável integrante da nova equipe de governo. O objeto do desejo seria o Ministério das Cidades, mas o ex-prefeito vem repetindo que cabe à presidenta escolher como e onde o PSD será contemplado no novo governo.

O PSD espera conseguir uma pasta além da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, que hoje é liderada por Guilherme Afif Domingos. Dilma, segundo interlocutores, está satisfeita com o desempenho de Afif e estaria de fato estudando mantê-lo no time, dentro de sua cota pessoal.

A abertura das conversas aumentou no PT a expectativa por uma conversa da presidente com a direção partidária. Por enquanto, o presidente da legenda, Rui Falcão, não foi chamado para discutir o assunto com Dilma.

Você pode gostar