Alckmin elogia indiciado pela PF

Governador diz que presidente da CPTM, Mário Bandeira, é 'extremamente respeitável

Por O Dia

São Paulo - O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), defendeu ontem o presidente da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), Mário Bandeira, indiciado pela Polícia Federal (PF) em investigação sobre o cartel de empresas que fraudou licitações de trens em São Paulo entre 1998 e 2008.

Alckmin diz que é preciso ‘analisar com cuidado’ suspeitas sobre BandeiraABr

“Nós precisamos analisar com cuidado. O doutor Mário Bandeira é metroviário desde 1973, tem 41 anos de serviço público. É uma pessoa extremamente respeitada. Já pedimos toda a documentação do Ministério Público e vamos verificar com cuidado para não fazer injustiça com as pessoas”, disse o governador.

Bandeira é um dos 33 indiciados pela PF no inquérito que investigou o cartel nos governos Mário Covas, José Serra e Geraldo Alckmin, todos do PSDB. Há dois dias, o promotor Marcelo Milani, do Ministério Público Estadual, defendeu o afastamento do presidente da CPTM.

O governador defendeu “transparência absoluta” na investigação sobre o esquema de cartel e afirmou que se houver algum agente público envolvido, “seja quem for”, será punido. O tucano voltou a afirmar que a administração estadual é “vítima” de eventuais irregularidades.

“A Corregedoria do Estado já está trabalhando há mais de um ano nessa correição. Se ficar comprovado o cartel, o governo estadual é vítima, porque cartel é feito fora do governo, e ele será indenizado”, afirmou Alckmin. Mesmo saindo em defesa de Bandeira, o governador já deu sinais de que pretende trocar o comando da CPTM. A mudança deve ocorrer no rastro da reforma do secretariado, planejada pelo tucano para a segunda metade do mês de dezembro.

Últimas de _legado_Brasil