Por bianca.lobianco

São Paulo - Uma virose numa criança de dois anos foi o pivô da tragédia para a família Müller, que morreu na queda de um helicóptero prefixo PT-HNC, neste sábado, em Bertioga, litoral paulista. Ao embarcarem na aeronave para irem da casa de praia de Guarujá até a capital, onde a pequena Geórgia seria atendida, Marcelo Müller, 33, e Lumara Rocha Müller, 31, acabaram selando seus destinos. Além dos três, o piloto Tiago Yamamoto e a babá da família também morreram.

Queda de helicóptero em Bertioga tem cinco vítimas fataisDivulgação

O acidente aconteceu ontem de manhã, na altura do km 229 da Rodovia Rio-Santos, onde a aeronave caiu. Nascido em Ribeirão Preto, Marcelo era acionista da Companhia Müller de Bebidas, que fabrica a cachaça Pirassununga 51, e neto de seu fundador. Já Lumara era diretora de vendas em emissora de TV em São Paulo.

Queda de helicóptero em Bertioga tem pelo menos cinco vítimas fataisDivulgação / Polícia Militar

De acordo com um familiar, o casal decidiu deixar Guarujá porque a filha acordou muito mal, com febre alta, ainda sofrendo os efeitos de uma virose que pegou durante viagem aos Estados Unidos, feita recentemente pela família. A mãe e a avó de Lumara também estavam na mesma casa do condomínio de onde partiu a aeronave, mas não embarcaram. “Eles saíram às pressas logo cedo para levá-la a um hospital em São Paulo”, disse o familiar, que preferiu não se identificar.

Uma equipe do Quarto Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos esteve no local do acidente, para apurar a ocorrência. O helicóptero, modelo Esquilo, caiu em uma área de mata. A identidade da babá não foi confirmada.

Você pode gostar