Por victor.duarte

São Paulo - O secretário de Segurança Pública de São Paulo, Alexandre Moraes, criticou nesta quarta-feira a publicação no Facebook, feita pelo perfil institucional da Polícia Militar (PM), que compara adeptos da tática black bloc a integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC). A postagem foi feita após o protesto do Movimento Passe Livre (MPL), na última sexta-feira.

Black blocs são comparados a facção criminosa pela PM-SP em rede social

Alckmin apoia ação da polícia militar em manifestação em São Paulo

Imagens do Facebook da PM-SP condenam vandalismo em protestos e comparam black blocs ao PCCReprodução Facebook

“A comparação não é correta. Determinamos que fosse retirada. A PM deve dar total transparência a dados e informações. Qualquer elemento subjetivo, opinião pessoal, deve ser colocado no Facebook próprio”, declarou, após participar da posse do coronel Ricardo Gambaroni no comando da PM.

O novo comandante também considerou infeliz a publicação na rede social, mas ponderou que o objetivo era provocar uma reflexão. “Aquilo [fotomontagem] já foi tirado. A estratégia [de comunicação] foi mudada. Nosso objetivo é informar. Foi passado como reflexão, quem colocou não teve a maldade de ver que poderia trazer uma conotação diferente. Nós também podemos errar”, justificou. Ele considera correta a atuação da PM durante o protesto da semana passada, e informou que chamou uma reunião com lideranças do MPL para planejar o próximo ato.

Você pode gostar