Irmão de Campos acha ‘prematura’ conclusão sobre queda de avião

Laudo da Aeronáutica comprova que o acidente foi causado por falha do piloto Marcos Martins

Por O Dia

Em nota divulgada nesta sexta-feira o advogado Antônio Campos, irmão do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, disse ser “prematura” qualquer conclusão da investigação da Aeronáutica sobre as causas para a queda do avião que matou o então candidato à Presidência da República pelo PSB, em 13 de agosto de 2014.

“É prematura a conclusão noticiada, até porque está pendente de conclusão relevantes perícias”, afirmou Antônio Campos, na nota. Segundo ele, os laudos Aeronáutica e do Centro de Prevenção de Acidentes Aéreos (Cenipa) apontam possibilidades que podem ter causado o acidente e, portanto, não são conclusivos.

Reportagem publicada ontem no jornal “O Estado de S. Paulo” mostra que a investigação do Ministério da Aeronáutica concluiu que o acidente foi causado por uma sequência de falhas do piloto Marco Martins.

Capa do Dia de 16 de agosto que revelava a razão do acidente com Eduardo CamposReprodução

Três dias depois do acidente, em 16 de agosto, revelou que o avião em que Campos estava caiu devido a “manobras bruscas” do piloto. Na época, fontes da Aeronáutica informaram ao editor Marco Aurélio Reis que a principal suspeita dos investigadores era que o piloto teria sido surpreendido por uma imagem estranha.

Na nota, Antonio Campos argumentou que algumas perícias “relevantes” ainda não foram finalizadas e os laudos da Aeronáutica e do Cenipa “não são conclusivos”. “O Cenipa não está fazendo todas as perícias do caso e não pode ter uma visão global do acidente”, observou.

Antonio Campos afirmou ainda que só irá falar sobre as causas do acidente depois da divulgação oficial da conclusão das investigações feitas pela Aeronáutica e do término dos inquéritos civil e criminal. “Tive uma audiência com o Procurador da República Thiago Nobre, na cidade de Santos, que prometeu a conclusão, possivelmente, do inquérito policial e civil para fevereiro, pois ainda aguarda a conclusão de perícias”, escreveu Campos.

Nota divulgada ontem pela FAB alega que “as investigações que apuram os fatores contribuintes do acidente com a aeronave PR-AFA ainda não foram concluídas pelo Cenipa”. No dia 13 de agosto, o avião com Campos saiu do aeroporto Santos Dumont, no Rio, em direção ao Guarujá, e caiu em uma área residencial de Santos. Sete pessoas morreram.


Últimas de _legado_Brasil