Por felipe.martins

São Paulo - Dados divulgados ontem pela Companhia de Saneamento Básico de São Paulo (Sabesp) apontam que o nível de todos os principais reservatórios que abastecem a região metropolitana de São Paulo registrou queda.

Responsável por abastecer 6,5 milhões de pessoas na Grande São Paulo, o nível do sistema Cantareira não sobe há 22 dias. Ontem, o índice caiu mais 0,1% e chegou a 6%. O Cantareira já opera com a segunda cota do volume morto — água do fundo do reservatório que não era contabilizada.

Nos 17 primeiros dias de janeiro, choveu 22,2% do que é esperado para todo o mês na região do Cantareira. Se o ritmo de chuvas continuar como nos últimos meses, a água do Cantareira pode acabar em julho, segundo projeção feita pelo Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), ligado ao Ministério da Ciência e Tecnologia.

 

Você pode gostar