Lava Jato busca provas na Suíça

Procuradores vão a Lausanne investigar elo entre dirigentes da Petrobras e empreiteiras

Por O Dia

Brasília - Oito procuradores e peritos desembarcaram nesta segunda-feira em Lausanne, na Suíça, para buscar documentos e extratos bancários que permitam rastrear a relação entre a Odebrecht e contas de ex-dirigentes da Petrobrás. O Ministério Público da Suíça permitiu o acesso a documentos e extratos bancários sobre suspeitas de pagamentos de propinas. A equipe de procuradores brasileiros ficará em Lausanne até sexta-feira.

A base da documentação é a coleção de extratos do banco UBS, que tem cinco contas abertas em nome de Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobrás. Os depósitos somam cerca US$ 26 milhões depositados. A suspeita é de que o dinheiro viria da Odebrecht.

Adiamento

Preso há seis dias, o ex-diretor da área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró prestará um novo depoimento à Polícia Federal até o fim desta semana. Cerveró já foi ouvido pela PF na semana passada e, agora, deverá depor novamente sobre a compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos. O depoimento deveria ter ocorrido ontem, mas foi adiado a pedido de seu advogados, que querem ter acesso aos documentos apreendidos em quatro residências em nome do ex-diretor, no Rio de Janeiro. Segundo a PF, foram apreendidos documentos e mídias relacionados às transações financeiras de Cerveró.

Bloqueio

As contas e as aplicações financeiras dos investigados na Operação Lava Jato, da Polícia Federal, permanecerão bloqueadas. A decisão é da juíza substituta Gabriela Hardt que enviou ontem aos bancos ofícios determinando que as aplicações financeiras não podem ser movimentadas e, quando chegar o prazo de resgate, devem ser depositadas em uma conta da Justiça.

Últimas de _legado_Brasil