Por tiago.frederico

Brasília - Agência Nacional de Aviação (Anac) informou em nota oficial no fim da noite dessa segunda-feira que o piloto e copilto do voo que leva o candidato à Presidência estavam corretamente habilitados para operar a aeronave.

Cenipa diz que pilotos de jato de Campos não tinham treinamento adequado

Na tarde dessa segunda-feira, o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA) divulgou os primeiros dados da investigação do acidente que matou o ex-governador de PE. Segundo a CENIPA, foram descartadas colisões com aves, veículos não tripulados e outros objetos. Aeronave não estava com foco de incêndio quando caiu.

Emocionados, Renata e os filhos prestam as últimas homenagens a Eduardo CamposEfe


As investigações apontaram também que no momento da queda, o trem de pouso da aeronave estava recolhido e não caiu de cabeça para baixo, segundo o tenente-coronel Raul de Souza. Ainda segundo o tenente-coronel, os motores do avião funcionavam normalmente na hora do acidente.

Quando estava se preparando para o pouso, o piloto teve de arremeter a aeronave por conta do mau tempo. Neste momento a torre de controle perde o contato com o avião.

A investigação aponta também que o piloto fez trajeto "diferente" do previsto. "A gente não pode concluir que ele tenha feito um atalho. Ele fez um procedimento".

Veja mais: 

Aeronáutica nega colisão com drone ou ave em acidente que matou Campos

Irmão de Campos acha ‘prematura’ conclusão sobre queda de avião

GALERIA: Candidato à Presidência, Eduardo Campos morre em queda de avião

GALERIA: Peritos fazem buscas em cratera aberta por avião em Santos

INFOGRÁFICO: Confira passo a passo como foi o acidente

O trajeto recomendado e o realizado pela aeronave mostra que os pilotos “encurtaram” o pouso.

Leia a nota da Anac:

O treinamento era previsto pelo Regulamento Brasileiro de Aviação Civil n°61.217 desde junho de 2012. O RBAC determina que os treinamentos diferenciados por modelo de aeronave deveriam constar em registro na Caderneta Individual de Voo dos pilotos (CIV). A nova Instrução Suplementar, publicada em julho de 2014, determina que o registro de treinamentos de diferenças deve ser feito também junto à ANAC no momento da renovação anual das habilitações.

No momento do acidente os pilotos estavam corretamente habilitados para operar a aeronave. Não é possível informar sobre os treinamentos específicos, pois as informações estavam registradas na Caderneta Individual de Voo dos pilotos (CIV) de cada piloto. Ademais, não há evidências que eles não tivessem o treinamento adequado.

Anac

Acidente

O candidato do PSB à Presidência, o ex-governador de Pernambuco Eduardo Henrique Accioly Campos, morreu na quarta-feira aos 49 anos na queda de uma aeronave Cessna 560 XL em Santos, no litoral de São Paulo.

Além de Campos, também morreram no acidente o assessor Carlos Augusto Leal Filho, o chefe de gabinete no governo de Pernambuco, Pedro Valadares Neto, o cinegrafista Marcelo Lyra, o fotógrafo Alexandre Severo e o piloto Marcos Martins e o copiloto Geraldo M. P. da Cunha.


Você pode gostar