Indiano compra a primeira geladeira do seu vilarejo e ganha cerimônia religiosa

Estima-se que na Índia, apenas uma em cada quatro casas do país tenham o aparelho eletrodoméstico em casa

Por O Dia

Índia - O vilarejo de Rameshwarpur, localizado nas proximidades de Calcutá, no nordeste da Índia, viveu momentos de festa por um motivo inusitado: um morador do local comprou a primeira geladeira da comunidade, que tem uma população de pouco mais de 200 pessoas e é estritamente rural. "Possuir uma geladeira é algo raro em uma vila como a nossa", contou Santosh Chowdhury, o comprador do aparelho, em entrevista à rede de notícias britânica BBC.

Santosh Chowdhury (à esq.) sonhava em comprar uma geladeira por mais de 10 anosReprodução BBC


Santosh trabalha como alfaiate e vive em uma casa simples, onde divide espaço com sua residência e local de trabalho. Antes da compra do eletrodoméstico, o alfaiate não tinha como guardar as sobras de comida e precisava ir ao mercado todos os dias. "Eu não tenho um trabalho regular. Às vezes trabalho meio período em uma fábrica. Ganho entre três e quatro dólares por dia", disse Santosh. Estima-se que apenas uma em cada quatro casas indianas tenham uma geladeira.

"A minha é a primeira geração da família a ter uma geladeira. Nenhum membro da geração do meu pai e do meu avô chegou a ver uma.", conta Santosh, que sustentava o sonho de comprar o aparelho há 10 anos para tornar a vida dele e de sua mulher, Sushoma, mais fácil. Para isso, o indiano foi juntando dinheiro todos os meses. "Eu não ganho muito dinheiro, por isso levou tanto tempo. Mas agora eu tenho o suficiente", disse sorrindo.

Após realizar a compra e voltar para o vilarejo agora com o aparelho, alguns moradores tentaram chegar perto para ver. Ao chegar na residência do casal, Sushona faz uma cerimônia religiosa para espantar maus espíritos e buscar uma bênção divina para receber a geladeira em casa. "Sonhamos com esse momento por tanto tempo. Alguns vizinhos já perguntaram se também poderão estocar comida em nossa geladeira", disse Sushoma. "Eu mal posso esperar para beber água gelada no verão", completou.

O alfaiate acredita que a compra do aparelho pode mudar a vida da família. "Eu posso agora me focar em conseguir mais trabalho porque não tenho mais que todo dia comprar comida para a família". O aparelho ficou em um lugar de destaque na casa, ao lado da máquina de costura de Santosh e de uma pequena televisão. "Minha mulher terá mais tempo livre e poderá me ajudar", disse.

Últimas de _legado_Brasil