Procurador-geral da República pede a prisão de Renato Duque

A avaliação é que as medidas de apreensão do passaporte de Duque e de proibição dele viajar para fora do país são insuficientes para evitar fuga

Por O Dia

Rio -  O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou nesta sexta-feira ao Supremo Tribunal Federal (STF) parecer em que defende a volta à prisão de Renato Duque, ex-diretor de Serviços da Petrobras. A avaliação é que as medidas de apreensão do passaporte de Duque e de proibição dele viajar para fora do país são insuficientes para evitar uma fuga do ex-diretor da estatal, um dos investigados na Operação Lava Jato.

Segundo Janot, Duque “possui inúmeras possibilidades de se evadir por inúmeros meios e sem mínimo controle seguro, especialmente se consideradas as continentais e incontroladas fronteiras brasileiras”. O ex-diretor foi preso em novembro do ano passado, mas foi solto no começo de dezembro, após decisão do ministro Teori Zavascki, que considerou sua prisão irregular. Agora, o caso será analisado por outros ministros do Supremo.

Nesta sexta-feira, o juiz federal Sérgio Moro estabeleceu prazo de cinco dias para a defesa do executivo Ricardo Pessoa, da UTC, esclarecer os motivos de ter incluído como suas testemunhas de defesa oito políticos, entre eles o ministro da Defesa, Jaques Wagner. Além dele, foram apresentados como testemunhas o tesoureiro da campanha de Lula em 2006, José de Filippi Júnior; o deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP); o ex-ministro das Comunicações Paulo Bernardo; e os deputados federais Paulinho da Força (SDD-SP), Jorge Tadeu Mudalen (DEM-SP), Jutahy Júnior (PSDB-BA) e o ex-deputado Arnaldo Jardim (PPS-SP).

“Deve-se ademais prevenir a eventual utilização do processo judicial como forma de gerar constrangimento desnecessário a agentes públicos, o que é sempre uma possibilidade, especialmente em casos rumorosos”, escreveu Moro.

Preso na sétima fase da Operação Lava Jato, Pessoa foi apontado por um dos delatores como coordenador de um “clube de propina” formado por empreiteiras.

Últimas de _legado_Brasil