Por victor.duarte

São Paulo - Levantamento feito pela Apeoesp (sindicato de professores da rede estadual de São Paulo) aponta que, ao menos 2.404 classes de ensino fundamental, médio e educação de jovens e adultos foram fechadas no Estado de São Paulo para o início deste ano letivo.

O estudo foi feito em 36 das 93 subsedes do sindicato com base nas salas atribuídas e que começaram as aulas na última segunda-feira. Com o fechamento de salas, muitas turmas iniciaram o ano com classes superlotadas. De acordo com o sindicato, há turmas com até 90 alunos matriculados.

Mais de 2.400 salas de aula foram fechadas em São Paulo, afirma sindicatoEBC

"Sempre defendemos a atribuição de aulas em dezembro para que haja adequação do número de matrículas ao número de professores, mas o Estado nunca aceitou nossa reivindicação", afirma Maria Isabel Noronha, presidente da Apeoesp.

Questionada sobre o número de salas fechadas na rede, a secretaria estadual de educação afirmou que as escolas estão em um período de adequação entre o número de matrículas feitas e o de alunos reais, e que novas salas devem ser abertas até o dia 19 de fevereiro.

Até o momento, a secretaria não respondeu quantas eram as classes da rede em 2014 e quantas são as classes abertas em 2015.

Você pode gostar