Por felipe.martins

Pernambuco -  Três conselheiros tutelares e uma mulher de 62 anos mortos em uma chacina na noite de sexta-feira em Poção, no Agreste Pernambucano, serão enterrados neste domingo no cemitério local. Informações obtidas pela polícia apontam para uma emboscada na Estrada do Sítio Cafundó, a 240 quilômetros de Recife, por onde passavam as vítimas com uma menina de 3 anos, única sobrevivente.

“Primeiro, atiraram no motorista. Depois nas mulheres que estavam no banco de trás e à queima roupa em um deles que tentou escapar”, informou a Polícia Militar. Os conselheiros eram Carmem Lúcia da Silva, 38, José Daniel Farias Monteiro, 31, e Lindenberg Nóbrega de Vasconcelos, 54. A outra mulher morta na chacina era Ana Rita Venâncio, avó da criança.

De acordo com a polícia, todos vinham da casa da avó paterna da menina, situada em Arcoverde, no Sertão, a cerca de 70 quilômetros de Poção. Segundo o avô materno e marido de Ana Rita, João Batista, as famílias compartilham a guarda da criança há dois anos. A criança é órfã de mãe.

O pai e a avó paterna cuidavam dela durante a semana. Nos fins de semana, a menina ficava com os avós maternos. Segundo a Polícia Militar, nem o pai nem a avó paterna foram localizados.
Inicialmente, havia a informação de que a criança teria sido ferida à bala na confusão, mas, no hospital, informaram que o sangue que a sujava não era dela. A menina está sob a guarda de policiais em um local não divulgado, por questão de segurança.

João Batista contou que na sexta-feira a avó e o pai mudaram repentinamente o horário que eles costumavam pegar a menina para passar o fim de semana. “Era para a gente pegar a criança às 11h30 no colégio e entregar na segunda-feira, de 7h30. Só que, esta semana, eles mesmo mudaram, para a gente ir pegar de 17h”, disse o avô.

Você pode gostar