Por thiago.antunes

São Paulo - O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, pretende usar policiais para fiscalizar os servidores municipais e identificar possíveis casos de corrupção na administração. O objetivo é aproveitar a experiência desses profissionais em investigações para apurar suspeitas de desvios de conduta.

Haddad quer aproveitar a experiência dos policias em investigaçõesABr

A ideia de colocar policiais para vigiar os funcionários e caçar corruptos foi confirmada pelo Controlador Geral do Município de São Paulo, Roberto Porto, em entrevista divulgada ontem pelo site da internet do jornal ‘Folha de S. Paulo’. Segundo ele, os agentes trabalharão armados e, como têm poder de polícia, poderão fazer prisões de suspeitos.

Porto explicou que a opção pelos policiais decorre da carência de funcionários na Controladoria Geral do Município. “A Controladoria dependia de outros órgãos para fazer esse tipo de serviço”, afirmou Porto.
O controlador explicou ainda que os policiais poderão trabalhar disfarçados e infiltrados para flagrar desvios de conduta e extorsões praticadas por servidores.

Ele citou a cobrança de propina de comerciantes, para fazer vista grossa a irregularidade, e de camelôs, para permitir que armem barracas em lugares proibidos, como exemplos de crimes que poderão ser investigados por homens disfarçados de lixeiros, carteiros ou de outras profissões. Porto afirmou que vai levar para a prefeitura, com aval de Haddad, um sistema de investigação que usou no Ministério Público. Segundo ele, seis policiais militares já foram convidados para fazer o serviço.

Você pode gostar