Por tiago.frederico

Paraná - Professores e funcionários de escolas estaduais do Paraná estão no segundo dia de greve nesta terça-feira com 100% de adesão da categoria, informou o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná (APP-Sindicato).

Eles não concordam com um pacote de medidas proposto pelo Governo do Estado que afeta as carreiras dos educadores. Pagamento dos benefícios atrasados e a reabertura dos turnos que foram fechados no final de 2014 são apenas algumas das muitas reivindicações. Devido à paralisação, quase um milhão de estudantes estão sem aula.

Presidente da Alep barra audiência pública e entrada dos manifestantes na assembleiaDivulgação

Os profissionais re reúnem na manhã desta terça-feira na frente da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) para acompanhar a sessão plenária que deve colocar em pauta a possibilidade de mudanças no pacote que o governo apresentou.

Até o início da tarde, cinco mil trabalhadores do interior do Estado devem ser juntar aos profissionais da capital e da Região Metropolitana de Curitiba. Eles chegaram em cem ônibus, disse o sindicato.

Antes do encontro, está prevista uma reunião entre representantes da APP com o líder do governo na Alep, o deputado Luiz Claudio Romanelli. Conhecido como "pacotaço", o conjunto de medidas foi apresentado pelo Executivo aos deputados estaduais em regime de urgência na quarta-feira. Elas promovem mudanças nos benefícios do funcionalismo público e fazem parte da segunda etapa de um ajuste fiscal iniciado em 2014, com o aumento da alíquota de impostos. O objetivo é ampliar receitas e diminuir despesas da máquina pública.

Você pode gostar