Governo da Indonésia protesta contra Brasil

Promotor do caso de Rodrigo Gularte informou que brasileiro será executado em breve

Por O Dia

Brasília - O Itamaraty confirmou que o embaixador brasileiro em Jacarta, Paulo Soares, recebeu uma nota de protesto do Ministério das Relações Exteriores da Indonésia pelo fato de a presidenta Dilma Rousseff ter se recusado a receber as credenciais do novo embaixador indonésio no Brasil, Toto Riyanto.

Preso desde 2004, Gularte foi diagnosticado com esquizofreniaReprodução

Condenado à pena de morte por tráfico de drogas na Indonésia, o brasileiro Rodrigo Gularte deverá ser fuzilado dentro das próximas quatro semanas. A declaração foi dada pelo promotor indonésio do caso, um dia depois de o governo do país ter chamado de volta o seu embaixador no Brasil pelo mal-estar provocado com a decisão da presidente em adiar a cerimônia oficial de apresentação do diplomata.

Paulo Soares recebeu a nota em mãos anteontem à noite ao ser convocado para uma reunião na chancelaria do país asiático. A assessoria de comunicação do Itamaraty não divulgou o teor da carta.

O governo da Indonésia já chamou Riyanto de volta ao país. O diplomata só foi comunicado da decisão quando já estava no Palácio do Planalto, na manhã de sexta-feira, para participar da cerimônia de entrega de credenciais de cinco novos embaixadores.

Nos bastidores, diplomatas avaliaram que Jacarta optou por não adotar uma resposta drástica, como a de ordenar a saída do embaixador brasileiro da Indonésia. A recusa em receber as credenciais foi a forma encontrada pelo governo brasileiro de protestar pela execução do brasileiro Marco Archer, em janeiro, por tráfico de drogas.

Últimas de _legado_Brasil