Por tamara.coimbra
Giuliano Manfredini%2C filho de Renato Russo%2C lamentou morte no FacebookDivulgação

São Paulo - O ex-guitarrista da Legião Urbana Dado Villa-Lobos e o filho de Renato Russo, o produtor cultural Giuliano Manfredini, usaram as redes sociais para lamentar a morte de Renato Rocha, o Negrete. O baixista, que tocou com a banda brasiliense até 1989, foi encontrado morto neste domingo, em um quarto de hotel no Guarujá, litoral de São Paulo.

"Recebo a notícia com profunda tristeza e, paradoxalmente, com a leveza de ter podido estar ao seu lado nos últimos tempos, compreendendo-lhe e amparando o grande amigo de meu pai", escreveu Giuliano em sua página do Facebook. "Renato já pertence a história de nossa música e viverá na melhor de nossas lembranças. Vai com os Anjos, vai em Paz".

Dado Villa-Lobos, por sua vez, foi mais conciso. "Fica a melhor lembrança, encontrou a paz. E, há tempos, muita saudade", publicou junto com uma foto da antiga formação da Legião Urbana.

De acordo com o Instituto Médico Legal (IML) de Guarujá, Renato morreu em decorrência de uma parada cardíaca. Ele foi encontrado em seu quarto encostado à porta, já morto. Ainda não há informações sobre velório e enterro, já que até as 6h10 desta segunda-feira o corpo não havia sido liberado pelo IML.

Ex-baixista da banda Legião Urbana é encontrado morto em hotel no Guarujá

O Negrete tocou na Legião Urbana de 1984 até 1989, quando deixou o grupo por causa de seus problemas com drogas. Em 2012, foi encontrado pelo programa "Domingo Espetacular", da Record, morando nas ruas. O irmão do baixista, Roberto da Silva Rocha, falou, no Facebook, que Giuliano Manfredini foi quem ajudou o músico na ocasião.

Antidepressivos

O ex-baixista da banda Legião Urbana Renato Rocha fazia uso de pelo menos três remédios contra depressão, sendo que um deles é recomendado ainda para o tratamento de hipertensão. Segundo o IML, os exames preliminares não foram capazes de apontar um excesso de medicamento no corpo do ex-baixista.

Renato Rocha (esquerda) foi baterista da primeira formação da banda Legião UrbanaDivulgação

Uma amiga da vítima e governanta, que acompanhava o músico no mesmo hotel no litoral de São Paulo, relatou à polícia que Renato Rocha tomava remédios antidepressivos. Entre os medicamentos citados por ela estão pamergan, carbamazepina e captopril.

Policiais informaram que no quarto do hotel onde o ex-baixista foi encontrado morto não havia nenhum tipo de marca de violência no corpo ou sinais de uso de drogas.

Com informações do iG

Você pode gostar