Ex-diretor da Petrobras Jorge Zelada tem 10 milhões de euros bloqueados

Quantia, identificada em Mônaco, é incompatível com a renda do sucessor de Nestor Cerveró

Por O Dia

Brasília - O ex-diretor da área Internacional da Petrobras Jorge Zelada teve 10 milhões de euros bloqueados por decisão das autoridades do Principado de Mônaco, informou o Ministério Público Federal (MPF) nesta terça-feira. O MPF relatou ainda que existe a suspeita de que Jorge Zelada, que substituiu Nestor Cerveró no cargo, possa estar envolvido no esquema de corrupção da estatal desvendado pela Operação Lava Jato. O ex-diretor comandou o setor entre 2008 e 2012.

'Corrupção é pluripartidária', diz procurador da Lava Jato

Jorge Zelada foi diretor da área Internacional da Petrobras entre 2008 e 2012Marcos Oliveira/Agência Senado

Segundo o procurador federal e coordenador da força-tarefa da operação, Deltan Dallagnol, a quantia identificada no exterior é incompatível com a renda de Zelada. O ex-diretor ainda não foi denunciado pelo MPF, mas o ministério afirmou nesta terça que vai considerar a informação importante e que vai investigar a origem do dinheiro. O Ministério Público Federal destacou que a existência de valores depositados em uma conta do exterior, mesmo que seja incompatível com a conta do proprietário, não constitui crime.

Empresas citadas na Lava Jato podem ser rebaixadas por agência de riscos

50 mil trabalhadores perderam emprego no Rio com o escândalo da Petrobras

Jorge Zelada já era investigado pela Controladoria Geral da União (CGU), assim como os ex-diretores da Petrobras Renato Duque e Nestor Cerveró. Todos respondem a processos administrativos que apuram o pagamento de propinas em contratos da empresa holandesa SBM Offshore junto a Petrobras. Porém, não há provas suficientes para ocorrer uma denúncia contra Zelada.

Últimas de _legado_Brasil