Por tamara.coimbra
Publicado 19/03/2015 12:48 | Atualizado 19/03/2015 12:50

Brasília - A empresa de José Dirceu, JD Consultoria, recebeu mais de R$ 1,4 milhão em pagamentos da Jamp Engenheiros Associados LTDA. De acordo com o Ministério Público Federal, Jamp pertence ao lobista Milton Pascowitch, um dos acusados do esquema de propinas da Petrobras, investigado pela Operação Lava Jato. Os valores da Jamp para a JD foram repassados em duas parcelas, em 2011 e 2012. Os dados constam em um relatório da Receita federal que está anexado nos autos de uma investigação sobre a JD Consultoria.

Condenado no mensalão, José Dirceu começa a cumprir prisão domiciliar

Dirceu foi condenado como mentor do esquema de compra de parlamentares durante o primeiro mandato do ex-presidente LulaFábio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil

Segundo o ex-gerente da Petrobras, Pedro Barusco, a Jamp era responsável por repassar dinheiro de propina pago pela consultoria Engevix. O ex-diretor da empresa, Gerson Almada, disse em depoimento na última terça-feira, que, além de pedir dinheiro para campanhas do PT, o empresário Milton Pascowitch intermediou o pagamento de propinas entre a Engevix e a diretoria da estatal.

De acordo com o relatório a firma de Dirceu recebeu dinheiro de cinco empreiteiras investigadas na Lava Jato. Ao todo, os valores chegam a perto de R$ 8 milhões.

A empresa JD declarou que os contratos com as construtoras não têm qualquer relação com os contratos da Petrobras investigados na Lava Jato. Segundo a JD, os contratos com a Jamp foram na área de consultoria.

Você pode gostar