Michel Temer, o articulador político

Presidenta Dilma passa a seu vice a tarefa de negociar com as bancadas no Congresso

Por O Dia

Brasília - Depois de Eliseu Padilha, ministro-chefe da Secretaria de Aviação Civil, ter recusado assumir a Secretaria de Relações Institucionais (SRI), a presidenta Dilma Rousseff decidiu ontem à tarde transferir para o vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), as atribuições da articulação política do governo.

O peemedebista Temer assumirá as atribuições da Secretaria de Relações InstitucionaisAgência Brasil

O anúncio das novas atribuições de Temer foi feito pela presidenta durante reunião, no Palácio do Planalto, do Conselho Político, integrado por presidentes de partidos aliados e líderes no Congresso. No encontro, Dilma comunicou a saída de Pepe Vargas da Secretaria de Relações Institucionais. Ele vai assumir a Secretaria de Direitos Humanos, no lugar da petista Ideli Salvatti.

Vargas era uma escolha pessoal da presidenta dentro do PT para comandar a articulação política. Mas a atuação do ministro vinha sendo criticada pela base aliada e pelo ex-presidente Lula, que defendia sua troca.

Na conversa com Vargas, a presidenta Dilma explicou que a troca na secretaria era necessária para reorganizar a coordenação política do seu governo. Segundo interlocutores do petista, a presidenta disse “sentir muito” o vazamento de sua substituição, antes de qualquer conversa entre os dois.

Vargas ficou chateado com a atitude da presidenta de ter convidado para o seu cargo o peemedebista Eliseu Padilha, sem que ele fosse previamente avisado. Uma pessoa próxima ao ministro contou que, ontem à noite, depois de ter vazado a informação que Dilma havia conversado com Padilha, Vargas telefonou para o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação, Edinho Silva, perguntando se a informação procedia.

Em meio à crise política, Dilma decidiu dar mais espaço ao PMDB, principal partido da base aliada, e essencial para aprovar no Congresso o pacote de ajuste fiscal, que vem sendo fustigado pelos peemedebistas.

Últimas de _legado_Brasil