Taxistas protestam contra aplicativo Uber em pelo menos quatro capitais

Motoristas de São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Brasília se mobilizaram para chamar a atenção contra a ilegalidade

Por O Dia

São Paulo - Taxistas protestaram nesta quarta-feira em pelo menos quatro capitais contra o aplicativo de caronas pagas, da empresa norte-americana Uber. Criado em 2010, o aplicativo começou a operar no Brasil no ano passado.

LEIA MAIS: Protesto de taxistas complica o trânsito no Centro do Rio de Janeiro

Em São Paulo, uma carreata com cerca de 2,5 mil veículos, segundo a Polícia Militar (PM), saiu do Estádio Pacaembu e seguiu em direção à Câmara Municipal, onde os motoristas participaram da reunião ordinária da Comissão de Trânsito e Transporte. Os taxistas apontam que o aplicativo estimula o transporte ilegal de passageiros. Os vereadores comprometeram-se a marcar uma audiência pública.

Taxistas de São Paulo protestam contra aplicativo de caronas da empresa UberFábio Vieira / Agência O Dia

No Rio de Janeiro, taxistas saíram em carreata e complicaram o trânsito em algumas vias do Centro do Rio, na tarde desta quarta-feira. Os manifestantes chegaram a parar seus veículos na Praça Irmãos Bernardeli, na altura da Prefeitura do Rio, na Cidade Nova e fizeram um protesto na Avenida Presidente Vargas, nas pistas sentido Candelária.

No Paraná, cerca de 500 taxistas se concentraram na Rua Manoel Eufrásio para protestar contra o aplicativo Uber. A categoria fez uma carreta pelas ruas centrais até a rodoviária.

No Distrito Federal, manifestantes sairam do estacionamento em frente ao Estádio Nacional Mané Garrincha e foram em carreata até o Palácio do Buriti, onde tinham a intenção de entregar um documento com as reivindicações ao secretário de Mobilidade Urbana, Carlos Tomé. Segundo o sindicato da categoria, cerca de 150 veículos participaram da carreata.

Taxistas fazem passeata pela Zona Sul do RioAlessandro Buzas / Agência O Dia

“Fizemos essa mobilização porque estamos sendo prejudicados. O taxista tem que ter toda a documentação, ser legalizado, cadastrado na prefeitura, e de repente vem uma organização [Uber], se instala aqui e não sabemos de onde veio. Vamos em frente e não vamos parar enquanto não tomarem providências”, declarou Natalício Bezerra, presidente do Sindicato dos Taxistas Autônomos de São Paulo. “Não tem legalização nenhuma, até um bandido pode estar dirigindo aquele carro”, criticou Bezerra.

O aplicativo Uber é semelhante ao de táxi, com a diferença que, para ser motorista da empresa, é preciso se cadastrar no site, possuir carteira profissional e seguro de automóvel para uso comercial.

*Com informações da Agência Brasil


Últimas de _legado_Brasil