Por fernanda.macedo

Rio - Embora já exista há algum tempo em países desenvolvidos, o teste que mede a resposta do coração a uma situação simulada de estresse ainda não está disponível para a população brasileira como um todo.

Apenas alguns hospitais, como o Pr√≥-Card√≠aco, no Rio de Janeiro, disp√Ķem do equipamento para avalia√ß√£o cl√≠nica, de acordo com o cardiologista Ant√īnio Claudio N√≥brega, para quem o estresse aumenta o risco de problemas cardiovasculares. O tema abriu, nesta quinta-feira, o 32¬ļ Congresso de Cardiologia, da Sociedade de Cardiologia do Estado do Rio de Janeiro.

A abordagem √© feita, como instrumento de pesquisa, em laborat√≥rios da Universidade Federal Fluminense (UFF) ‚Äď da qual N√≥brega √© professor ‚Äď e do Instituto do Cora√ß√£o (Incor), em S√£o Paulo. ‚Äú√Č uma forma de estimarmos como o cora√ß√£o de uma pessoa reage em situa√ß√Ķes de estresse no dia a dia‚ÄĚ, disse N√≥brega √† Ag√™ncia Brasil.

Segundo ele, existe ampla literatura m√©dica correlacionando eventos card√≠acos, como infarto agudo do mioc√°rdio, arritmias card√≠acas ou acidente vascular encef√°lico, durante situa√ß√Ķes de estresse mental. Tamb√©m existe rela√ß√£o entre a resposta exagerada do cora√ß√£o a uma situa√ß√£o de estresse, como indicador de risco futuro para desenvolver problemas card√≠acos, como, por exemplo, hipertens√£o arterial.

O teste, disse N√≥brega, permite que o cardiologista possa tomar medidas preventivas mais intensas para a pessoa que apresenta risco aumentado de desenvolver hipertens√£o no futuro. Ele defende a necessidade de o teste ser divulgado e incorporado aos servi√ßos de sa√ļde brasileiros, incluindo o Sistema √önico de Sa√ļde (SUS), para que possa atingir todas as camadas da popula√ß√£o.

De acordo com o professor da UFF, o teste ergom√©trico ou de esfor√ßo, praticado comumente no pa√≠s, √© √ļtil para uma s√©rie de indica√ß√Ķes, ‚Äúmas ele tem menos especificidade quando a queixa do paciente √© para um problema que ocorre durante situa√ß√Ķes de estresse psicol√≥gico, mental ou de conflito.

Para uma pessoa que tem algum tipo de problema enquanto caminha, sobe uma escada, faz um esfor√ßo f√≠sico, o teste ergom√©trico √© ideal para essa avalia√ß√£o. Mas quando a pessoa tem sintomas durante uma situa√ß√£o de conflito psicol√≥gico no trabalho ou em fam√≠lia, existe esse teste espec√≠fico de reatividade ao estresse mental. O teste de esfor√ßo tem menos poder de detec√ß√£o do problema‚ÄĚ, indicou.

Pesquisa publicada no ano passado, no Journal of the American Heart Association, mostra que entre indiv√≠duos que t√™m depress√£o, os que reagem ao estresse mental de maneira exagerada t√™m maior risco de desenvolver infarto agudo do mioc√°rdio. ‚ÄúS√£o pessoas que merecem aten√ß√£o diferenciada‚ÄĚ. As doen√ßas cardiovasculares s√£o consideradas, hoje, a principal causa de morte natural no Brasil, com destaque para acidente vascular encef√°lico e infarto agudo do mioc√°rdio.

O 32¬ļ Congresso de Cardiologia reunir√° cerca de 2,5 mil congressistas e sediar√° pela primeira vez, no pr√≥ximo s√°bado, o simp√≥sio da Sociedade Europeia de Cardiologia, que trar√° ao Brasil alguns dos principais especialistas mundiais em cardiologia.

Você pode gostar