Por tamara.coimbra

São Paulo - Entre os oito mortos em chacina ocorrida na noite deste sábado, na sede da torcida organizada Pavilhão Nove, do Corinthians, está Fábio Neves Domingos, de 34 anos, um dos 12 torcedores presos em Oruro, na Bolívia, após a morte do torcedor Kevin Spada, em 2013. Spada foi morto por um sinalizador durante um jogo entre o Corinthians e o San José, válido pela Taça Libertadores da América.

Chacina em sede da torcida do Corinthians deixa cerca de oito mortos

Fábio Neves Domingos sendo solto na Bolívia%2C após a morte do torcedor Kevin Spada%2C em 2013Reuters

Além de Domingos, os outros mortos são: Ricardo Júnior Leonel do Prado, 34 anos; André Luiz Santos de Oliveira, 29 anos; Marco Antônio Corassa Júnior, 19 anos; Matheus Fonseca de Oliveira, 19 anos; Jhonatan Fernando Garvillo Massa, 21 anos; e Mydras Schmidt Rizzo, 38 anos. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, um homem que também morreu na chacina ainda não foi identificado.

O caso está sendo investigado pelo Departamento Estadual de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Até o momento, não se sabe o que motivou o crime, mas a polícia não acredita que ele tenha sido motivado por briga entre torcidas. Na tarde deste domingo, no clássico paulista, o Corinthians enfrentará o Palmeiras em uma das semifinais do Campeonato Paulista.

Segundo a Polícia Militar, o crime ocorreu por volta das 23h. Sete corpos foram encontrados baleados dentro da sede da Pavilhão Nove, na Ponte dos Remédios, Zona Oeste da capital. Uma oitava vítima foi levada ao Hospital das Clínicas, mas não resistiu aos ferimentos.

Por meio das redes sociais, o Corinthians estampou uma imagem de luto. A Gaviões da Fiel, a principal torcida organizada do Corinthians, lamentou as mortes: “Era para ser um domingo de muita alegria, mas não será. As arquibancadas estão em "luto pela perda dos nossos oito irmãos”, escreveu a Gaviões no Twitter.

Você pode gostar