Quatro vítimas da chacina na Pavilhão Nove já foram acusadas de tráfico

Polícia ainda não sabe se o crime foi cometido por causa de dívida ou disputa por pontos de drogas

Por O Dia

São Paulo - A Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou que quatro das oito vítimas da chacina ocorrida dentro da sede da Pavilhão Nova, torcida organizada do Corinthians, tinham passagem pela polícia por tráfico de drogas. De acordo com o Estadão, entre os mortos está Fábio Neves Domingos, de 34 anos, apontado pelo Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) como o único alvo dos criminosos. As outras vítimas teriam morrido porque estavam no local no momento da execução.

Polícia diz que chacina na quadra da Pavilhão Nove foi ordenada por facção

Segundo investigações, Domingos vendia drogas na região da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp), na Zona Oeste. Agentes relataram que ainda não sabem se o crime foi cometido por causa de dívida ou disputa por pontos de drogas. A ordem do crime pode ter partido do Primeiro Comando da Capital (PCC).

Na ocasião, Ricardo Júnior Leonel de Prado, de 34 anos, André Luiz Fonseca de Oliveira, de 29, e Jonathan Rodrigues Nascimento, de 21, já haviam sido presos por tráfico.

Domingos ainda é conhecido pela polícia por ter sido um dos 12 corintianos presos na Bolívia após a morte de Kevin Espada, de 14 anos, torcedor do San José, em um jogo da Libertadores em 2013.

Últimas de _legado_Brasil